Lar é Onde o Coração Está

As mazelas da vida de estrangeiro

Diz o ditado que lar é onde o coração está.  Mas, algumas vezes, o coração insiste em chamar de lar dois lugares tão distantes. Quem mora fora do Brasil há certo tempo, conhece bem os dramas e alegrias da vida de imigrante.

Muitos brasileiros emigram para os Estados Unidos em busca de emprego, oportunidades e uma vida melhor.  Alguns planejam ficar nos EUA apenas alguns anos, o suficiente para juntar dinheiro e poder retornar à terra natal em melhores condições financeiras. Porém, quando finalmente alcançam o sonho do regresso (tendo ou não juntado dinheiro suficiente), percebem que sentir-se em casa é mera ilusão.

Retornar é, praticamente, uma imigração. Tão logo coloca o pé fora do avião, quem retorna percebe que o tempo e a distância deixam marcas profundas. Aquele amigo dos velhos tempos, antes tão chegado e confidente, agora tornou-se quase um estranho. O problema é que as pessoas seguiram com suas vidas e, já faz tempo que o retornado já não é mais parte da vida delas. Mas quem retorna, traz na mala a nostalgia e boas memórias; como se tudo e todos tivessem congelado durante o período em que permaneceu no exterior. Para quem retorna, a sensação é de que se perdeu o bonde da história e, o que antes era tão familiar, tornou-se desconhecido.

Após retornarem ao Brasil, muitas pessoas fazem comparações entre as coisas e a vida no exterior e passam, então, a sentir saudades da vida fora do Brasil. Não raras vezes, quem retorna sofre de angústia e depressão pela vida que ficou para trás. É a chamada “síndrome do regresso”, termo cunhado pelo neuropsiquiatra Décio Nakagawa para designar certo “jet lag espiritual” que “aflige ex-imigrantes”. O choque é sempre inevitável, pois o país, antes abandonado, nunca é o mesmo na volta.

Aqueles que optam por viver fora do Brasil para sempre, também sofrem as mazelas da vida de estrangeiro, carregando consigo eterna saudades e nostalgia. Uma amiga brasileira, que mora há muito tempo nos Estados Unidos, confidenciou-me certa vez, que se sente com o coração divido ao meio e que sabe que nunca mais será feliz por completo. “Quando estou aqui, sinto saudades de lá e quando estou lá, sinto saudades daqui.” – comentou minha amiga. A verdade é que a nostalgia faz-nos esquecer dos problemas da outra terra e lembrar-nos apenas das coisas boas.

Viver no exterior é poder chamar de lar dois países diferentes. É saber duas línguas, vivenciar novas culturas, ampliar os horizontes e desenvolver uma grande capacidade de adaptação a novas situações. Ao mesmo tempo, viver no exterior é aprender a gerenciar a saudades; aprender a dosar a nostalgia e acostumar-se a uma vida de chegadas e partidas, de acenos e despedidas. Viver no exterior é, principalmente, não se incomodar em ser sempre pessoa estranha em terra estrangeira.

 

DESPEDIDA

Carol Freire

 

Já me acostumei a esta vida

de acenos de despedidas

e beijos de partida

 

Saudades invade a alma

quando os abraços se entrelaçam

E o adeus divide

os que vão e os que ficam

 

Já me acostumei a esta vida

de chegadas e partidas

Em que não posso ter ao meu lado

as pessoas mais queridas

 

Mas logo a saudade é preenchida

pela presença da alegria

E a lembrança dos momentos

em sua companhia

 

Aprendi a viver a vida

curtindo o tempo que tenho

entre os beijos de boas vindas

e os acenos de despedida

 

Carol Freire

Carol Freire é escritora e mora há 11 anos na região da Baía de São Francisco, Califórnia. Seu romance de estreia "Além das Fronteiras" foi inspirado em sua vivência no exterior, e aborda temas como multiculturalismo e identidade cultural. O livro está disponível em português para leitores nos EUA, Europa e Brasil, através da Amazon e sites das principais livrarias. Para saber mais sobre a autora, visite http://www.carolfreire.com e seu blog http://blog.carolfreire.com. Para contactá-la, envie e-mail para contato@carolfreire.com

2
Deixe um comentário

avatar
2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Mariaantonio carlos Recent comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Maria
Visitante
Maria

Claro que vai. Deixa de morar ai para vc ver.

antonio carlos
Visitante
antonio carlos

DISCORDO , É RUIM QUE VOU TER SALDADES DO BRASIL, É RUIM