WASHINGTON – As autoridades dos Estados Unidos deportaram 227.038 imigrantes indocumentados no ano fiscal de 2015, que se encerrou em setembro, segundo dados divulgados nesta terça-feira, 22, pelo Departamento de Segurança Nacional (DHS).

O Serviço de Imigração e Controle de Alfândegas (ICE) realizou 235.413 operações migratórias, entre as quais 227.038 eram de deportação e 8.375 retornos voluntários de imigrantes irregulares que preferiram voltar aos seus países de origem ao invés de enfrentar um processo de expulsão.

O número de deportações realizadas pelo ICE neste ano fiscal é menor do que no período anterior, quando 315.943 indivíduos foram deportados pela mesma agência.

Segundo o relatório, voltaram ao país de origem imigrantes procedentes de 181 países, em sua maioria do México (146.132), seguido por Guatemala (33.249), El Salvador (21.920), Honduras (20.309), República Dominicana (1.946), Equador (1.305) e Colômbia (1.154).

De acordo com os dados divulgados, 91% das 235.413 deportações ou retornos voluntários correspondem a indivíduos com antecedentes penais, o que representa uma ofensiva maior contra o crime do que no ano anterior, quando o número de prisões aumentou em 86%, explicaram funcionários do DHS em uma entrevista coletiva.

No relatório também foram incluídos informações do Escritório de Alfândegas e Proteção Fronteira (CBP), que prendeu 337.117 indivíduos no ano fiscal de 2015, uma queda em relação ao período anterior, quando realizou 486.651 detenções.

O número de detenções deste ano fiscal é segundo mais baixo desde 1972, destacou o secretário de Segurança Nacional, Jeh Johnson, em comunicado. O indicador é considerado como essencial para medir a quantidade de pessoas que cruzou a fronteira.

No ano fiscal de 2015, o número de mexicanos, que tradicionalmente tentam com mais frequência entrar ilegalmente nos EUA, presos caiu 18%. Já entre os cidadãos dos demais países – incluindo os centro-americanos – o índice caiu em 68%.

Nos últimos meses, especialistas em migração atribuíram a queda de chegadas de centro-americanos aos EUA a um maior número de deportações promovido pelo México, o que evitaria uma nova avalanche de crianças não acompanhadas vindas de El Salvador, Honduras e Guatemala, como ocorreu em 2014, no território americano.

“Trabalhamos de perto com nossos sócios no México e na América Central nessa questão”, disseram os funcionários do DHS na coletiva.

No ano fiscal de 2015, as autoridades dos EUA apreenderam 39.970 menores sem acompanhante na fronteira com o México, uma queda de 42% em relação ao período anterior.

No total, levando em conta todas as agências federais encarregadas de trabalhos migratórios, o DHS efetuou 406.595 prisões de imigrantes ilegais e 462.463 operações migratórias, nas quais se incluem deportações e retornos voluntários.

Fonte: Beto Moraes

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz