Fonte:  Comunidade News 

A voz de Patty Ascher também encantou o público do Feinstein’s, em Nova Iorque

A cantora brasileira Patty Ascher realizou recentemente duas apresentações nos Estados Unidos. Ela cantou no dia 2 de setembro no Feinstein’s em Nova Iorque, e participou do Telethon 2010 em Las Vegas (NV), evento promovido pelo comediante Jerry Lewis.

O show no Feinstein’s, onde Patty se apresentou pela primeira vez no ano passado, teve canções de Tom Jobim, Burt Bacharach e Michel Legrand. Segundo a cantora, a casa estava lotada. “E as músicas lindas me emocionaram várias vezes”, disse a cantora, orgulhosa por ter participado do Telethon, no dia 6 de setembro.
“Para mim foi uma honra ser a primeira brasileira a participar, e fiquei duplamente feliz ao saber que ano que vem retornarei”. Patty elogiou muito o show. “A banda foi impecável, som, luz, tudo ao vivo e perfeito…foi maravihoso”.

De origem israelita – Ascher significa luz em hebraico – Patty tem como padrinho artístico ninguém menos do que Roberto Menescal. Segundo a cantora, o músico mudou o rumo da vida dela quando a convidou para a gravação do primeiro CD, “Bacharach Bossa Club”, lançado em 2007. “Com canções de Burt Bacharach em ritmo de bossa nova”.

Formada em Letras pela USP, Patty Ascher é filha de Neno, membro da banda “Os Incríveis”, que fez muito sucesso na década de 70. A influência musical também vem de um tio, que trabalha com artistas brasileiros. Das onze canções do segundo álbum, “Deu Jazz no Samba”, nove são de sua autoria, em parceria com Marcos Pontes “Caixote” e Ronaldo Rayol. O CD homenageia grandes maestros brasileiros e mistura pop e jazz, ganhando pitadas latinas e, é claro, da bossa nova.

Música sem Fronteiras

O segundo álbum tem canções em português e inglês, e composições de Patty em espanhol e francês. O fato de não cantar só em português gerou algumas críticas no Brasil, segundo a cantora. “Mas para mim, a música é uma linguagem universal e emociona sempre…como canto em Francês e Espanhol também…não vejo problema em cantar em Inglês e Português (a língua nativa do meu amado Brasil)”.

Para Patty, o mais importante é se expressar através da música e emocionar o público. “Com a internet, as fronteiras não existem e acho que podemos cantar em várias línguas”. Amante confessa de bossa nova, samba e forró, considera Luis Gonzaga tão genial quanto Dizzy Gillespie. “Sou louca para gravar um álbum de ForróJazz”.

A idéia de misturar samba e jazz, ritmos nascidos oficialmente no mesmo ano, diverte a cantora. “Consigo cantar jazz e samba no mesmo show e faz todo sentido…Se o jazz tem Duke Ellington, o samba tem Moacir Santos”. O trabalho com o pianista, arranjador e compositor francês Michel Legrand, detentor de três Oscars e 27 Grammys, é tido pela cantora como um marco na carreira dela. “Como todo gênio, é irascível, super exigente”. Patty agradece ao músico por ter atingido outro patamar na jornada musical.

A gratidão é tanta que a cantora planeja gravar um CD com as canções de Legrand. “Em comemoração aos 80 anos que ele celebrará em 2012”. A homenagem, segundo ela, contará com grandes nomes.

No ano que vem, Patty faz uma turnê pelos Estados Unidos. De 23 de agosto a 15 de setembro de 2011, ela deve se apresentar em Nova Iorque, Boston, Washington, Miami, Los Angeles, São Francisco e Las Vegas. A cantora planeja ainda um concerto beneficente para uma grande fundação brasileira com sede nos Estados Unidos..

Reproduzido com permissão e em parceria com a Comunidade News.  Leia outros artigos da Comunidade News.

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz