Fonte:  Comunidade News

Melhora da economia brasileira e falta de serviços tem sido um dos motivos para o retorno.

O jornal norte-americano “Los Angeles Times” destacou na primeira página da última sexta-feira, 2, uma reportagem mostrando a mudança na vida de alguns brasileiros que deixaram os Estados Unidos após a crise de 2008.

Um dos entrevistados pela reportagem diz que há dois anos entregava pizzas a estudantes da Universidade da Califórnia em Berkeley, fugia das autoridades de imigração e ganhava salário em uma moeda que se desvalorizava em relação ao real. Hoje, na Bahia, ele divide seu tempo entre a administração de negócios próprios e churrascos com a família no fim de semana.

“Eu nunca tinha feito planos para voltar. Eu adoro lá (EUA). Mas minha mãe e todo mundo ficava dizendo que a economia estava crescendo como nunca antes, além disso o trabalho na Califórnia tinha secado. Esta é a mesma razão pela qual todos os brasileiros lá que eu conheço também voltaram”, disse o brasileiro.

Outro entrevistado afirma que, quando estava nos EUA, chegou a ser preso pela imigração e passado um dia inteiro sem comer. Lá, ele trabalhava na construção civil. No Brasil, atualmente, ele vende cartuchos de impressora em uma loja em Salvador e afirma que tira entre R$ 2 mil e R$ 4 mil.

“Os brasileiros estão retornando [para casa] em busca de melhores oportunidades. O desemprego está em uma taxa historicamente baixa e a renda está subindo rapidamente. Em muitos setores, os brasileiros ganham mais do que seus equivalentes americanos”, afirma o jornal.

Além do emprego e da renda, outros dois fatores são citados pela reportagem como motivos para voltar ao Brasil: a valorização do real e um ambiente cada vez mais difícil para os imigrantes nos EUA.

 

Reproduzido com permissão e em parceria com a Comunidade News.

 

Deixe um comentário

9 Comentários em "Jornal Los Angeles Times Destaca Retorno de Brasileiros"

avatar
Raquel
Visitante
Ja moro nos EUA ha 12 anos. Talvez porque vim legalmente, nunca enfrentei discriminacao ou racismo; pelo contrario, sempre fui bem acolhida e respeitada em todos os estados nos quais morei. Formei-me na faculdade aqui em 2004, tive uma filha que hoje tem 7 anos e estuda numa escola publica maravilhosa. Nunca tive medo ou preocupacao com violencia, nem com ela nem comigo. Hoje trabalho como gerente de um escritorio ha 3 anos e estou fazendo mestrado em psicoterapia. Comprei um condo aqui na California atraves da Habitat for Humanity e tenho amigos maravilhosos. Sinto falta de algumas pessoas da… Read more »
Lox
Visitante

O brasileiro para escapar de uma nação que não os ama, não sabe mais para onde ir. Não sabe se vai para a América, para Espanha, para Portugal, para Europa, etc. Mas, eu aconselharia que os brasileiros que estão insatisfeitos com seu país procurassem também outros destinos, os quais o Governo do Brasil possue íntimo relacionamento diplomático, são eles: Cuba, Venezuela, Peru, Argentina, ou seja, países subdesenvolvidos, como o nosso, talvez a vida lá é bem melhor que em países desenvolvidos. Por que não tentar.

Betina
Visitante

Morando nos EUA por 15 anos…
Gosto muito do espirito de voluntarismo americano, seja nas escolas publicas, amigos do bairro, amigos dos parques, etc, o sistema incentiva cooperacao sem roubo. Roubo e desvios sao excessao. Quando voce trabalha e ajuda pelo bem comum as pessoas te tratam bem e oportunidades aparecem. E nao importa a tua cor da pele e sotaque.
Tambem gosto de escolas publicas; o preco de uma escola particular comparavel em Sao Paulo e’ de chorar.

Lox
Visitante
O companheiro acima, Portella, falou corretamente. O Brasil está pagando um preço altíssimo por inverter o correto, declarando com atitudes que o mal compensa; e, realmente, tudo indica que deseja espalhar o erro para outras nações. Se você discorda: observe como anda o Brasil em termos sociais. Amigos, ninguém mais naquele país tem paz: 1.Uns morrem por balas perdidas; 2.Outros em assaltos a banco; 3. Outros atropelados, pois os motoristas brasileiros não estão a par do que é respeito pela vida humana; 4.Outros, em hospitais públicos, pois os médicos, sem motivação para trabalhar, descontam a ira nos pacientes – matando-os;… Read more »
Portella
Visitante
“ate que ponto vale a pena viver no estados unidos?” Digo que vale a pena viver nos EUA, o trágico problema é que o brasileiro é assaz indisciplinado, ele não suporta correção; e, ao entrar em países que cobram disciplina, ordem e progresso social bem estruturado, logicamente, vai aborrecer, incomodar e desestabilizá-lo. O brasileiro, em si, sofre de uma patologia psicológica social – ele foi preparado ou forjado para não aceitar correções, em virtude da péssima estrutura social de onde ele é procedente. Mas, a outra arte e ciência brasileira é dizer que sempre os outros são os vilões da… Read more »
Juliano Wagner
Visitante

Essas reportagens tbm mostram o nível de trabalhador brasileiro que se “aventura” lá, e que está voltando: baixo. Pessoas que só querem um emprego, mas não querem produzir. Os americanos sabem disso e por isso rejeitam. O Brasil sempre foi um brilho longínquo e falso. baixo nível de qualificação lá e aqui tbm.

Tibério Vanderley
Visitante

ate que ponto vale a pena viver no estados unidos? minha familia esta no Brasil, quase todo mundo que eu amo esta la, sinto falta da comida, das pessoas, do calor humano… As pessoas aqui estao ficando muito estranhas com os imigrantes, por quanto tempo aguentar isso por apenas alguns dolares que nem estao mais valendo tanto assim… eu comecei acreditar que… talvez dinheiro nao seja tudo..

Irlan
Visitante

O Brasil é uma nação duvidosa; e, somado ao forte índice de corrupção, imoralidades e a falta de ética, que o mesmo carrega na alma desde 22 de abril de 1500, creio eu que, qualquer decisão precipitada de retorno, apontando para o “aquecimento” financeiro desse país, poderá se tornar num futuro arrependimento. Nem tudo que nunca brilhou, pode se tornar ouro de repente.

wpDiscuz