Os Estados Unidos estão passando por um momento crítico em sua história.  Os cofres americanos não têm fundos suficientes para cobrir todas as despesas, o que requer um acúmulo ainda maior de dívidas que já chegaram a um recorde da história do país.

A dívida é tão alta, que atingiu um limite imposto por lei, levando a um grande impasse entre Democratas e Republicanos que precisam desesperadamente de um acordo para executar uma emenda legislativa autorizando um aumento da dívida.

Os Democratas insistem em não aceitar cortes nos programas sociais como a previdência e assistência médica aos idosos, e querem solucionar o problema com aumento dos impostos.  Republicanos não aceitam aumento dos impostos, pois isso poderia desestimular uma economia que continua fraca, podendo levar a o país de volta à recessão.

Ironicamente, o problema que levou os cidadãos americanos à pior recessão desde a Grande Depressão dos anos 30, um acúmulo de dívidas sem controle, é o mesmo problema que agora afeta o governo americano, que não dá um bom exemplo à população.   Com uma grande divisão partidária, não existe liderança suficiente no congresso americano para resolver o problema, o que poderia levar a um cenário catastrófico e jamais imaginado: o calote americano.  Se isso acontecer, o país provavelmente irá vivenciar tudo aquilo que nós brasileiros vivenciamos nos anos 80.  Juros altos, recessão, e austeridade imposta por terceiros que pode afetar a soberania do país.  Imagine o FMI impondo condições de austeridade ao governo Americano como está sendo feito na Grécia!  Com certeza os credores, principalmente o maior deles, a China, iria ter uma grande influência nos termos e condições de novos empréstimos.  E a maior ironia de todas é o fato de que o Brasil encontra-se entre os grandes credores dos EUA hoje!

Devido à globalização as conseqüências de um calote americano afetariam a economia mundial e nos levaria de volta a uma forte recessão mundial.  Mesmo que haja um acordo no congresso para aumentar o limite da dívida americana, o problema não será resolvido até que o governo americano tenha uma nova liderança no congresso que possa executar efetivamente medidas para controlar custos que ultrapassam a receita federal.

Deixe um comentário

4 Comentários em "Dívida Americana Faz Lembrar o Brasil dos Anos 80"

avatar
Marcio Lyrio
Membro

ainda vem mais problemas pela frente, estamos no aguardo.

Angelina Frias
Visitante

Todo o dinheiro para ‘salvar’os bancos deveria retornar aos cofres do governo..os especuladores deveriam ter seus bens confiscados.Sao trilhoes de dolares que sairam a luz e as escuras.Uma lei que regularize o imigrante ilegal,sendo imposta uma pena financeira,tambem garante aos cofres do governo federal bilhoes de dolares.
Os politicos se engalfiam nos interesses partidarios e em barganhas. Mais uma vez, perde quem ganha menos,perde a nacao.

joao paulo - smo
Visitante

Acho que a possibilidade de um calote americano é muito grande, sabe-se do potencial de pagamento da divida, mas acho que mesmo um calote poderia trazer mais ganhos para os americanos, claro que haveria juros maiores para emprestimos, cartões mas estes não seriam tão altos como os nossos.

Acho e espero que façam o correto, aumentem o teto, mas precisam acima de tudo cortar gastos, em áreas como a de defesa, que de longe consome muita grana, mas muita mesmo.

roberto
Visitante

OS ESTADOS UNIDOS TÊM DINHEIRO PARA PAGAR SUAS DÍVIDAS – TODO MUNDO SABE DISSO, PORQUE AS DÍVIDAS SÃO EM DÓLAR E ELES FABRICAM O DÓLAR – O PROBLEMA É: ELES QUEREM PAGAR ESSAS DÍVIDAS? O IMPASSE POLÍTICO NÃO SERIA APENAS O PRETEXTO PARA NÃO PAGAR? OS PAÍSES QUE QUEREM FICAR MENOS VULNERÁVEIS DEVERIAM CRIAR MECANISMOS PARA FICAR O MENOS POSSÍVEL DEPENDENTE DO DÓLAR.

wpDiscuz