Fonte:  Comunidade News  

Mães e promotores das regionais estão reclamando da participação de modelos profissionais que vieram do Brasil exclusivamente para o concurso.

Tristeza e decepção. Estes são os sentimentos que ainda rondam as candidatas ao concurso Miss Brasil USA 2009, realizado no sábado (21), no Roberto Treat Hotel em Newark, New Jersey. Segundo organizadoras de etapas regionais e de mães de candidatas, a vencedora já sabia que seria a grande coroada da noite.

O título foi dado a Marcela Granato, vinda diretamente de Minas Gerais e representando Seatle, Washington. Segundo informações confirmadas pelo Comunidade News, ela ficou em segundo lugar no concurso Miss Minas Gerais 2010, além de ser modelo profissional.

O fato desagradou as candidatas residentes nos Estados Unidos. A vencedora carrega uma grande bagagem de experiência, não mora no país e teria sido escolhida por antecipação, segundo informações. Segundo Regina Barbosa, organizadora da etapa regional de New Jersey (região de Fort Lee), Marcela é realmente muito bonita e tem porte de miss, mas destacou que havia candidatas locais “lindíssimas”. De acordo com ela, somente depois do anúncio do resultado é que soube que havia candidatas vindas do Brasil.

Regina decidiu não participar mais da organização do concurso. A escolha de Marcela Granato foi feita por cerca de 10 jurados, ainda segundo Regina.

Este é o segundo ano que uma organizadora, a qual preferiu não dar o nome, participa do concurso. Segundo ela, o organizador geral do Miss Brasil USA, Cacá Santos, teria informado todos os franqueados a respeito da participação de candidatas vindas do Brasil. Ela ainda confirmaria o recebimento, mas outras organizadoras disseram a ela que não tinham recebido o material.

A organizadora explicou que não está contra nem a favor de Cacá Santos, mas opinou. “Não acho certo meninas que vem do Brasil, já sendo modelos profissionais, concorrerem com as outras meninas que subiram duas, três vezes na passarela”, disse. Segundo a mulher, as próprias candidatas disseram a ela que um e-mail, encaminhado na manhã do concurso, antecipava o nome de Marcela Granato como vencedora. Foi também através das próprias candidatas que ela soube que a eleita tinha vindo do Brasil.

Decepção

Geiza Kryszczynsi, mãe da candidata Juliana Zalfa de Connecticut, declarou que ficou sabendo das candidatas vindas do Brasil somente dois dias antes do concurso. Segundo ela, eram três meninas que ganharam tratamento diferenciado, e que ficaram inclusive em quarto separado.
“Minha intenção é lutar por justiça para todas as meninas”, disse Geiza.

No final do concurso ela subiu ao palco e entregou uma carta a Cacá Santos sob o título “Integridade, justiça, vontade de vencer honestamente”. Em nome de todas as candidatas, expressando toda a indignação pela participação de meninas vindas do Brasil.

Tania Azevedo, organizadora da regional Flórida pelo quarto ano, disse que não participa mais do evento. Declarou que não sabia da participação de candidatas vindas do Brasil. “Não concordo que venham meninas do Brasil sem passar por nenhuma seletiva, e se infiltrar no meio de meninas que passaram por uma seletiva”, disse.

A mãe da candidata Izabelle Rocha Oliveira, de Pompano Beach, afirmou que não sabia que viriam meninas diretamente do Brasil. Ela afirmou que as candidatas já sabiam que Marcela seria a ganhadora. Tanto ela quanto Izabelle estão muito decepcionadas. “Se é concurso Miss Brasil, é para mostrar que a comunidade brasileira existe aqui fora, que tem mulheres bonitas, tem coisas diferentes”, disse ela.

O Outro Lado
O Comunidade News questionou Cacá Santos sobre a participação de uma modelo profissional. Segundo ele, o regulamento permite trazer candidatas do Brasil. Na cláusula 3 do regulamento, reza que “as brasileiras que residem fora dos Estados Unidos só poderão se inscrever no Miss Brasil USA por intermédio de um produtor, seja ele atuante nos Estados Unidos, ou em qualquer outro país”.

A assessora de comunicação, Mariana, disse que todas as candidatas sabiam que o concurso se tornaria internacional, portanto aberto à participação de candidatas de outros países.

Em carta enviada à redação do Comunidade News, o advogado de Cacá, Moses Apsan, esclarece que o concurso foi feito dentro do regulamento, portanto não causando nenhuma injustiça com as participantes. “Eu aponto para você que uma injustiça legal apenas aconteceria se houvesse uma violação do regulamento do concurso ou de uma lei federal ou estadual. Neste caso não houve nenhuma violação de qualquer lei federal ou regulamento interno”, diz trecho da carta.

Reproduzido com permissão e em parceria com a Comunidade News.  Leia outros artigos da Comunidade News.

Deixe um comentário

2 Comentários em "Concurso Miss Brasil-USA 2009 é Marcado por Polêmica"

avatar
GUSTAVO DUTRA
Visitante

Campanha para o Miss Universo 2010ser no Maracanãzinho, Rio
Escreva para
edupaes@uol.com.br Prefeito Eduardo Paes
dorita@gabinetedogovernador.rj.gov.br assistente do Governador Sérgio Cabral
clarimundo@comunicacao.rj.gov.br chefe de Comunicação do Palácio

Cristina Cardoso Vilas Bôas
Visitante

Gostaria uito de participar mas não sei como enviar minha foto para vocês poderem ver!

wpDiscuz