O presidente Barack Obama recuou em sua posição a favor dos imigrantes e adiou os planos para assinar uma ordem executiva e resolver parte dos problemas imigratórios do país, drama que atinge a mais de 12 milhões de pessoas. Segundo a Casa Branca, a nova data para uma possível ação fica para depois das eleições de novembro.

O adiamento da decisão sobre a ordem executiva – que poderia estancar parte das deportações – foi em virtude do medo de alguns senadores democratas de que as medidas poderiam refletir negativamente no eleitorado.

O anúncio da paralisação da medida gera um descrédito ao presidente que em junho anunciou sobre a possibilidade de medidas para resolver as questões imigratórias até o final do verão. Os democratas temem que a ordem executiva seja vista como uma medida antipática e unilateral por parte dos eleitores. O temor dos democratas é perder também a maioria no senado.

A Casa Branca assinalava a ordem executiva como uma possibilidade real, o que gerou mais investimentos dos imigrantes no país nos últimos meses. A maior reivindicação dos grupos de defesa dos imigrantes era pela paralisação das deportações, sobretudo de pessoas que têm filhos americanos.

Obama deve falar sobre o assunto em entrevista neste domingo durante o programa “Meet the Press” da ABC.

A Casa Branca comunicou a decisão ao Congresso, aos ativistas de defesa da imigração e outros grupos de interesse na manhã deste sábado (6), poucas horas depois que o presidente voltou da reunião da OTAN no País de Gales.

Na sexta-feira, ele disse à imprensa que estudaria a questão durante o voo de retorno para casa, mas assessores do governo estão justificando aos aliados que agir agora seria prejudicial à causa da reforma imigratória integral no futuro.

Especialistas americanos avaliam desde o início do ano que a reforma imigratória poderia representar uma vitória política para a Casa Branca. Era uma maneira contundente de demonstrar a inoperabilidade do Congresso e o pulso forte do presidente da República.

Além disso, a medida seria uma forma de cativar de vez o voto latino e dos progressistas para os democratas, grupos que cada vez mais consideram a questão imigratória como prioridade. Os eleitores descontentes com as medidas já estavam mesmo alinhados com os republicanos, assim se pensava. E ainda havia vários estados importantes onde o voto latino poderia ser decisivo para a vitória no Senado, como Colorado, Iowa e Georgia, e ainda vários outros distritos na corrida para a Câmara.

Mas, embora a Casa Branca tenha dito que seria o Department of Homeland Security, e não os políticos, que influenciariam a decisão, as conversas com democratas ameaçados imediatamente apareceram. A resistência veio não só de onde se esperava vir, como do senador Mark Pryor, do Arkansas, mas até mesmo de liberais convictos como o senador Al Franken, na luta para preservar sua cadeira.

“Há muito ceticismo a respeito do que ele [o presidente] realmente fará,” disse Angela Kelley, estrategista da causa inigrante no Center for American Progress. “Ele vai ter que apresentar um argumento muito forte e convincente para deixar claro que o assunto não foi abandonado.”

Líderes do sindicato Service Employees International Union divulgaram uma nota dizendo que estão “profundamente decepcionados, mas não paralisados.” “O jogo está longe de acabar,” disse a presidente do SEIU, Mary Kay Henry e o vice da entidade, Rocio Saenz, em uma declaração conjunta. “A reforma imigratória sempre esteve e sempre estará no nosso futuro. O presidente continuará a ouvir de nós, e o Congresso vai sentir a pressão de um eleitorado em ascensão.”

Fonte: Beto Moraes

 

Deixe um comentário

3 Comentários em "Obama Adia Ordem Executiva para Imigrantes"

avatar
Paula
Visitante

Como escrevi algumas coisas erradas, vou repetir minha pergunta.
Tenho um amigo que tem uma empresa de fabricacao de chocolates no brasil, como ovos de pascoa, chocolates em barra…
Como poderiamos abrir uma representacao da empresa dele aqui nos estados unidos.
Moro em las vegas.
Desde ja, obrigada!

Paula
Visitante

Tenho um amigo com uma empresa de fabricacao de chocolates, como ovos da pascoa, chocolates em barra…
Como poderiamos abrir uma representacao da empresa dele aqui nos estados unidos?
Moro em las vegas.
Desde ja, obrigada!

wpDiscuz